segunda-feira, 11 de abril de 2011

meio mar, meio rio, meio lago ...

diabéticos, por favor, não leiam. mas é que estou amando... e tudo tende a ficar mais doce. a poesia pende à sobremesa. e as palavras não anoitecem mais. há um cento de sonhos e uma casinha no lago. e aquele açúcar nas mãos. na língua. e onde mais couber um afago... 
(mário liz)

7 comentários:

Angélica Lins disse...

Ahhh que belo! Docemente poético e apaixonado. Gosto quando o ar está adocicado assim...

Beijo com sabor de brigadeiro.

Thamíris Dias disse...

Lindo, lindo! Fazia tempo que nao experimentava algo tao doce... Nossa, Mala, posso ate sentir! Poeta, obrigada sempre pelas palavras dispostas...

Flora disse...

certa vez um poeta me disse que seria pra mim como um pote de açucar pros dias amargos.
me disse que descobriu em mim um universo inteiro.
quis eternizar momentos, desejou beijos escondidos, me derrubou chopp e ficou sem jeito.
escreveu linhas doloridas e versos repletos de amor.
me disse q eu era como Joana... a Joana da fogueira, q amava o fogo tanto quanto tem medo dele.
esse poeta enfrentou tempestades, calamidades, um desespero... pra estar ao meu lado.
foi como beija-flor no meu peito, e aos poucos construiu seu ninho...
... um ninho, uma casa, um lago.
ele me disse uma vez que eu era as cores das suas palavras...
...e eu disse a ele q ele era o traço dos meus desenhos.
esse poeta sempre me diz q sou o jardim de todas as flores.
e eu digo que ele é as palavras de todos os versos.
e depois das tormentas e das chuvas e da neve
no silencio doce dos nossos dias
nao há como nao dizer, nao sentir, nao gritar:
poeta, como eu amo você.

Mário Liz disse...

é bem assim que um poeta fica sem palavras.

sem nenhuma mesmo. ou melhor, com apenas 3.

eu amo vc.

Renata de Aragão Lopes disse...

E há doçura melhor que essa?

Felicidades a você e Flora! : )

Abraço,
Doce de Lira

Nay* disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nay* disse...

Amargo é virar escravo do hábito

Azedo é aceitar o tédio como inquilino na rotina

Desejo muitas novas primeiras vezes a vocês... Desejo palavras sinceras, abraços infinitos, brilho nos olhos, achar graça de si mesmo, banhos de chuva...

Desejo pele, saliva, paquera, matinê no cinema, flor roubada do jardim do vizinho, poesia...

Que vocês acordem sorrindo cores pra quem atravessar esse caminho e se descubram plural em meio a tantas singularidades...

Quem sou eu

Minha foto
Pouso Alegre, Minas Gerais -, Brazil
Redator Publicitário e Planejamento Estratégico da Cartoon Publicidade, graduado em Publicidade e Propaganda pela UNIVAS. Bacharel em Direito, graduado pela Faculdade de Direito do Sul de Minas. Roteirista do projeto multimídia E-URBANO1 e E-URBANO2, pela UNIVAS E UNICAMP. Ganhador do concurso nacional de redação de 2006 (MEC E FOLHA DIRIGIDA-RJ), onde superou mais de 37.000 concorrentes. Ganhador do Concurso de Redação da UFSCAR, em 2006. Colaborador da Revista Reuni. Tem publicações na revista científica RUA (UNICAMP) e no LIVRO DIGITAL DE 2011 (UNICAMP).