sábado, 12 de abril de 2008

...




há tanto de mim em tudo que sinto,
que quando amo não sei se amo porque amo,
e quando sinto, seja lá o que sinto, amo.
há tanto de mim em tudo que amo.
e há tanto de tudo nas coisas que sinto.

(Mário Liz)

4 comentários:

Shakadal disse...

See Please Here

Giove_Throatholocaust disse...

wow...

Carolina de Castro disse...

O Mário Liz
era o Mário das palavras.
Mário das rimas
Agora, é o Mário do coração!

Delírio Ambulante disse...

Mário, olá! Concordo com a força que carrega a palavra "maravilha", é por isso que gosto tanto de usá-la. Quando acredito que convém, é claro.

***

Nossa, esse versos me lembrou do sensacionismo pessoano. Gostei muito!

Saudações literárias!

Quem sou eu

Minha foto
Pouso Alegre, Minas Gerais -, Brazil
Redator Publicitário e Planejamento Estratégico da Cartoon Publicidade, graduado em Publicidade e Propaganda pela UNIVAS. Bacharel em Direito, graduado pela Faculdade de Direito do Sul de Minas. Roteirista do projeto multimídia E-URBANO1 e E-URBANO2, pela UNIVAS E UNICAMP. Ganhador do concurso nacional de redação de 2006 (MEC E FOLHA DIRIGIDA-RJ), onde superou mais de 37.000 concorrentes. Ganhador do Concurso de Redação da UFSCAR, em 2006. Colaborador da Revista Reuni. Tem publicações na revista científica RUA (UNICAMP) e no LIVRO DIGITAL DE 2011 (UNICAMP).