quinta-feira, 3 de abril de 2008

Esquina




Este reticencialismo em meu existencialismo. Um abismo a cada passo dado. Dedos de luz pra acalentar o perdido. E meu verso a pendular multi lado. Entre linhas de tempo futuro-presente-passado. Tudo inverso. Morrer e nascer (todo dia um bocado). Toda boca em meu beijo falado. Toda falha tal como um pecado. E na sombra do riso. Um riso sem sombra. Escancarado. Tão na cara que ri nos poros. Tão intenso que nunca pára. Tão pirado que rodopia. Tão piada que me sacode. Eu tenho um riso que pode o que ninguém pode. Pois quando choro minh’alma explode. E quando explodo sou vento e partes. E quando vento sou tudo e todo. Eu que sou eu quando dentro de mim. Centro de ar e fogo. Palavra que dança e vive. Esquina do meu socorro.

(Mário Liz)

2 comentários:

cristine bartchewsky disse...

Linda esquina, Maritos!

E o riso escarnado, escancarado, sofrido de lado...

Pendendo pra um lado, para o vago...


beijos

Zololkis disse...

SECURITY CENTER: See Please Here

Quem sou eu

Minha foto
Pouso Alegre, Minas Gerais -, Brazil
Redator Publicitário e Planejamento Estratégico da Cartoon Publicidade, graduado em Publicidade e Propaganda pela UNIVAS. Bacharel em Direito, graduado pela Faculdade de Direito do Sul de Minas. Roteirista do projeto multimídia E-URBANO1 e E-URBANO2, pela UNIVAS E UNICAMP. Ganhador do concurso nacional de redação de 2006 (MEC E FOLHA DIRIGIDA-RJ), onde superou mais de 37.000 concorrentes. Ganhador do Concurso de Redação da UFSCAR, em 2006. Colaborador da Revista Reuni. Tem publicações na revista científica RUA (UNICAMP) e no LIVRO DIGITAL DE 2011 (UNICAMP).