sábado, 1 de agosto de 2009

ascensão

ascensão


(Mário Liz)

seus dentes na pele.
sem precedentes.
sem pressuposto.
seu rosto no meu retrato.
seu beijo aflito no meu olfato.
seus olhos no teto.
a alma no tato.
a mão no seu esqueleto.
você treme.
eu arrebato.
meio que voa o corpo,
a cena, o ato.
meio que move a letra.
sem freio, sem recato.
meio que com afeto.
meio que sem formato.
meio no meio da cama.
meio no meio do mato.

17 comentários:

Julee disse...

hothotohtimo!!! ;)

Juliana Santos disse...

sentimento do coração, sentimentos da carne unidos em palavras, muito legal.bj

Bruna disse...

E poeta! Voce sabe!

Karla Daniely disse...

meio que com certeza irá virar....rs....mto bom!

Thamíris Dias disse...

Mala!
Da vontade de parar para viver o poema que não pára nunca!
Vivê-lo "meio no meio do mato", no meio da vida... no meio do nada!
Ter a natureza de platéia...
ADOREI!
O poeta faz a imaginação meio no meio da alma...
Amo!

Élida disse...

Ui! Booommm... Mto bom...

Renata disse...

Onde Estão seus livros?! onde estão escondidos esses peomas. texots maravilhosos que escreve, que alias você exala poema né!!!
Simplesmente otimo!!1

Andréa Balsan disse...

cara, dá pra musicar, fazer um rock foda mesmo...
nossa... ia ficar da hora, maluco...
vê aí... vc tem talento pra musicar...
esse poema tem cara de rockão mesmo...
beijos
vc acertou, eu amei o poema
beijos

Renan Barbosa disse...

Muitoo bom Mário!! Excelente este e todos os outros poemas! Parabéns!!

Sayuri Haicai disse...

“É como se aquela voz entrasse na gente.
Permanecesse na gente.
Parecia que todos ali, extasiados, queriam sonhar.
E diante tamanha beleza, eu pensei em TI.”

Dispensa comentários... É e não é sutil é e não é doce... É quando o mar se encontra com o rio.
Lindo.

PS.: Eu amo você... Muito!

Cristine Bartchewsky disse...

me arrebatou, poeta! selvagem e terno este poema!

Carol X - Mala disse...

No ponto certo da coisa, sem mais e nem menos...dá pra sentir na pele!!

Meio que me deu uma vontade...aff!!

beijus

Helena Miranda disse...

Porque até pra falar de sexo (ou principalmente para isso?!) é preciso Poesia, tato, sensibilidade. Para captar a essência do momento que não há mais essência... e para não cair no óbvio do "sexo em clima de romance" ou do "sexo puro e pornográfico". Adorei. Você sabia já, né?! rs
Um beijo pro meu Poeta predileto!

Sour Girl disse...

hahah no meio da rua, no meio do mato
no meio da cama....
que seja válido o ato,
que seja feito o sexo heheh!
adorei

*Milene Szilagyi* disse...

Hmmmm Perfeito!
Isso me lembrou um poema meu que se chama "Orgasmo", que vc ja conhece.
Segue como relacionado ao seu poema (um trecho):
"...As paredes soam
A cama estremece
As roupas voam
O instinto obedece
A loucura cresce
O fogo queima
A voz falha
Mas não tem problema
Os beijos cessam
Suspiros correm
A carne treme
Suor escorre..."

bruno nobru disse...

fala meio mario, como vai? adoro esse nome ascensão, muito belo

KAtheRyNA disse...

Nossa vc escreve bem!!!

Quem sou eu

Minha foto
Pouso Alegre, Minas Gerais -, Brazil
Redator Publicitário e Planejamento Estratégico da Cartoon Publicidade, graduado em Publicidade e Propaganda pela UNIVAS. Bacharel em Direito, graduado pela Faculdade de Direito do Sul de Minas. Roteirista do projeto multimídia E-URBANO1 e E-URBANO2, pela UNIVAS E UNICAMP. Ganhador do concurso nacional de redação de 2006 (MEC E FOLHA DIRIGIDA-RJ), onde superou mais de 37.000 concorrentes. Ganhador do Concurso de Redação da UFSCAR, em 2006. Colaborador da Revista Reuni. Tem publicações na revista científica RUA (UNICAMP) e no LIVRO DIGITAL DE 2011 (UNICAMP).